Mercado reduz projeção do PIB em 2006, para 2,74%

Analistas e economistas consultados pelo Banco Central reduziram levemente a estimativa para o crescimento brasileiro em 2006. De acordo com o levantamento semanal do BC, divulgado nesta terça-feira, a expectativa do mercado é de que o Produto Interno Bruto (PIB) tenha crescido 2,74% em 2006. O prognóstico anterior era de 2,76%. As estimativas para a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) foram mantidas em 3,11% em 2006 e 4% em 2007. As projeções do mercado para a taxa básica de juros, a Selic (atualmente em 13,25%), neste mês também ficaram estáveis, em 13% ao ano. O porcentual embute uma expectativa de que a taxa de juros seja reduzida em 0,25 ponto porcentual na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) dos dias 23 e 24. Para o fim do ano, as previsões de juros também não mudaram e prosseguiram em 11,75% ao ano. As estimativas de taxa média de juros para 2007 continuaram estáveis em 12,31% ao ano pela segunda semana consecutiva.IGPsPara o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) neste ano, a previsão caiu de 4,30% para 4,29%. A queda interrompeu uma seqüência de três semanas consecutivas de estabilidade destas previsões.As estimativas de alta do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) neste ano ficaram estáveis em 4,3% pela segunda semana consecutiva. Para 2006, as previsões de IGP-DI também não mudaram e prosseguiram em 3,89%. Para o Índice de Preços ao Consumidor da Fipe (IPC-Fipe), as estimativas são de 2,46% em 2006 e 3,99% em 2007.CâmbioAs projeções do mercado financeiro para a taxa de câmbio no final deste mês ficaram estáveis em R$ 2,15 em pesquisa semanal.Para o fim do ano, as estimativas de câmbio também não mudaram e prosseguiram em R$ 2,25 pela sétima semana consecutiva. Para a dívida líquida do setor público em 2006, a previsão é de 50% do PIB. Para este ano, as projeções prosseguiram em 49% do PIB pela quarta semana consecutiva. A expectativa do mercado para superávit em conta corrente subiu de US$ 6 bilhões para US$ 6,6 bilhões. Para o superávit da balança comercial neste ano, em contrapartida, as projeções caíram de US$ 38,05 bilhões para US$ 38 bilhões. Para 2006, as previsões de superávit em conta corrente prosseguiram estáveis em US$ 13 bilhões, e as da balança comercial ficaram em US$ 45 bilhões. InvestimentosAs projeções do mercado financeiro para o fluxo de investimento estrangeiro direto (IED) neste ano ficaram estáveis em US$ 16,1 bilhões Para 2006, as estimativas de entrada de IED também não mudaram e continuaram em US$ 16 bilhões pela quarta semana consecutiva. com Reuters

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.