Mercado registra oscilação durante a manhã

A situação na Argentina voltou a mexer com o mercado de câmbio nessa manhã. O dólar já iniciou o dia em alta de 0,66% sobre o fechamento de ontem, cotada a R$ 1,9810. Pouco antes da abertura da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), o dólar inverteu a tendência e passou a operar em baixa de 0,15%, a R$ 1,9650. Há pouco, estava cotado a R$ 1,9620 - uma queda de 0,30% em relação aos últimos negócios de ontem.No mercado de juros as taxas continuam subindo. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 18,900% ao ano, frente a 18,850% ao ano registrados ontem. A Bolsa opera em alta de 0,59%. No mercado acionário norte-americano, o Dow Jones - Índice que mede as ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - está em queda de 0,58%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra queda de 1,43%. O mercado financeiro mantém a expectativa de entrada de um pacote de ajuda do Fundo Monetário Internacional (FMI) à Argentina. O economista-chefe do banco Chase Manhattan, Luis Fernando Lopes, disse ao repórter André Palhano que o pacote deve liberar cerca de US$ 20 bilhões, sendo US$ 12 bilhões do FMI e outros US$ 8 bilhões do setor privado. Porém, o economista acha muito difícil que a ajuda venha logo. Isso porque há vários pontos pendentes, como a eleição norte-americana e a própria negociação do governo argentino com o Fundo e os investidores, que tende a ser demorada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.