Mercado retoma nervosismo apesar da aprovação da reforma

O mercado ignorou a vitória do governo na reforma da Previdência e teve um dia de baixa nos negócios. Os investidores temem obstáculos com a apreciação dos Destaques de Votação em Separado, valorizaram o fato de o governo ter precisado da oposição para ter os votos necessários e ficaram tensos com a violência dos servidores contrários à reforma. A decisão do Banco Central de rolar apenas 11% do vencimento de swap cambial no leilão de hoje foi mais um fator que alimentou o mau humor.A bolsa paulista fechou em queda de 1,32% e o volume financeiro somou R$ 643 milhões. O dólar subiu 1,03% e encerrou o dia cotado a R$ 3,0530. Os contratos futuros de juros, os DIs, também fecharam o dia com taxas mais altas em relação a terça-feira. O risco Brasil também subiu e quase encostou nos 900 pontos. Os C-Bonds caíram perto de 1%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.