Mercado segue atento a Nova York

Investidores do segmento acionário aproveitam o baixo preço dos papéis de empresas norte-americanas e entram no mercado para aproveitar as oportunidades. Essa reação impulsionou o desempenho da Nasdaq - bolsa norte-americana que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - que fechou a primeira parte do pregão em alta de 4,19%. O índice Dow Jones - que mede a valorização das ações de empresas mais negociadas na Bolsa de Nova York - acumula alta de 1,42%. O recuo do preço do petróleo ajuda a deixar o mercado menos instável. Os negócios com o petróleo bruto do tipo Brent para entrega em novembro estão em baixa de 0,76% em Londres, a US$ 33,83 por barril. No mercado interno, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em baixa de 1,76%. O cenário no Brasil ainda reflete os efeitos negativos das fortes quedas das bolsas norte-americanas e a alta do petróleo registrados ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 17,240% ao ano, frente a 17,000% ao ano ontem. A moeda norte-americana está cotada a R$ 1,8760 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,75% em relação às últimas transações de quarta-feira.O ambiente de cautela, porém, persiste. As bolsas em Nova York seguem com fortes oscilações e ainda devem ser divulgados balanços trimestrais de empresas dos Estados Unidos na próxima semana. No Oriente Médio, o fim do conflito ainda não está no horizonte e o risco de novos incidentes é grave. Tanto que os EUA estão mandando fechar provisoriamente suas embaixadas nos países da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.