Mercado segue tenso com Lula e cenário externo

Os analistas de mercado não acreditam em mudanças nas perspectivas de curto prazo e afirmam que o cenário continua tenso, tendo como destaques a possibilidade de vitória de Lula no primeiro turno e o iminente ataque dos EUA ao Iraque. Porém, esses profissionais não descartam um recuo da cotação da moeda norte-americana hoje. "É possível que haja um ajuste técnico já que o dólar subiu muito e as empresas que têm compromissos a honrar anteciparam suas compras de moeda nos últimos dias", disse um experiente profissional de mercado, acrescentando ainda que de ontem para hoje não apareceu nenhuma notícia, nem positiva, nem negativa, que pudesse ter grande impacto em negócios. Por isso, a demanda deve ser o principal norte dos negócios na manhã de hoje. Somente ontem, o dólar subiu 3,23%, fechando cotado a R$ 3,355. Os operadores, no entanto, deixam claro que o fôlego para quedas é limitado, no cenário atual. Eles afirmam que o mercado só assumiria uma nova trajetória para o dólar, se o Serra voltasse a subir nas pesquisas, eliminando a possibilidade de vitória de Lula no primeiro turno e se o ambiente internacional mudasse, tanto no que se refere à guerra, quanto aos dados das economias desenvolvidas, principalmente a dos EUA. Na abertura dos negócios, às 9h39, o dólar comercial estava sendo vendido a R$ 3,350, em queda de 0,15% em relação ao fechamento de ontem. Já no mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagavam taxas de 21,100% ao ano, frente a 21,270% ao ano negociados ontem.

Agencia Estado,

19 de setembro de 2002 | 09h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.