"Mercado vai saber valorizar", diz FMI sobre decisão do Brasil

O representante do Fundo Monetário Internacional no Brasil, Max Alier, disse hoje que o mercado fará uma avaliação muito positiva da decisão do Brasil de quitar toda a sua dívida com o Fundo Monetário Internacional (FMI). "O mercado vai saber valorizar", afirmou Alier que participa, em Brasília, do seminário Agenda Microeconômica: Evidências e Perspectivas, organizado pelo Banco Mundial.Segundo ele, a decisão é muito positiva e é resultado dos frutos das políticas econômicas corretas adotadas pelo governo. Reflete também, na avaliação dele, o fortalecimento das contas externas do País. Ele acredita que a decisão é um passo favorável do Brasil no caminho do investment grade - indicação para investimento -, dado pelas agências de classificação de risco."É menos uma coisa que elas vão falar", disse ele, referindo-se ao fato de que a dívida de um país com o FMI é levado em conta na avaliação das agências. Segundo ele, a equipe econômica tem clareza de todas as medidas que precisam ser adotadas para o Brasil avançar na direção do investment grade.O que faltaAlier disse, ainda, que é importante o conjunto de reformas que precisam ser feitas para assegurar o crescimento sustentado da economia brasileira. Ele afirmou que, apesar de o Brasil deixar de dever ao FMI, nada muda no relacionamento entre ambos e que a representação do Fundo vai continuar existindo no Brasil.Ele lembrou as três prioridades do fundo: o acompanhamento da política econômica no mundo, a ajuda financeira aos países que dela precisam e o fornecimento de assistência técnica. Ele disse que o Brasil é importante para o FMI pela sua expressão na economia mundial.

Agencia Estado,

13 de dezembro de 2005 | 17h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.