Mercado vê inflação cada vez mais próxima ao teto da meta

Levantamento do BC eleva para 6,30% a estimativa para o IPCA em 2008; projeção do juro é mantida em 14,25%

Reuters e Agência Estado

30 de junho de 2008 | 08h38

O mercado financeiro brasileiro acredita que a inflação em 2008 deve ficar próxima ao teto da meta definida pelo governo, mostrou a pesquisa Focus divulgada nesta segunda-feira, 30. No levantamento semanal feito pelo Banco Central, os analistas consultados elevaram para 6,30%, ante 6,08%, a estimativa para a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2008.   Veja também: Entenda os principais índices de inflação  Entenda a crise dos alimentos  Alimentos sobem em dose tripla nos países pobres Confira a evolução da Selic desde o início do governo LulaPara o próximo ano, a estimativa para o IPCA foi elevada para 4,80%, ante 4,78% projetados na pesquisa anterior. A meta de inflação fixada para 2008 e 2009 é de 4,5%, com margem de variação de 2 pontos percentuais, para cima ou para baixo. A estimativa para o patamar da taxa de juro ao final do ano foi mantida em 14,25%, mas a previsão para dezembro de 2009 foi elevada de 13% para 13,50%.   Já as projeções de inflação pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) e Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) para 2008, índices calculados pela FGV e que refletem bastante a inflação no atacado, também avançaram.   O IGP-DI subiu de 11,02% para 11,36%, enquanto o IGP-M passou de 10,36% para 11%. Já a previsão para o IPC-Fipe deste ano, que mede a inflação na cidade de São Paulo, passou de 5,79% para 5,85%.Para 2009, a previsão para o IGP-DI passou de 5,03% para 5,10%; a projeção para o IGP-M subiu de 5% para 5,03% e para o IPC-Fipe se manteve em 4,5%.   A previsão para a taxa de câmbio, no final deste ano, caiu de R$ 1,68 para R$ 1,67 por dólar. Para o final de 2009, a projeção de câmbio manteve-se em R$ 1,77 pela segunda vez seguida.A pesquisa Focus reúne as projeções de cerca de 100 instituições financeiras para os principais indicadores econômicos.     PIB Nos números referentes ao crescimento da economia brasileira, o mercado financeiro manteve a projeção de expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2008 em 4,80% pela segunda vez seguida. Para o ano que vem, a previsão de crescimento do PIB é de 4%, estável pela décima segunda vez. Em relação à produção industrial, o mercado ajustou para baixo a previsão de expansão este ano, de 5,61% para 5,56%. Já a previsão para a produção industrial em 2009 permaneceu em alta de 4,5%.   Contas externas Quanto à balança comercial brasileira, a previsão dos economistas é de um superávit de US$ 23 bilhões em 2008. A previsão do superávit comercial de 2009 passou de US$ 15 bilhões para US$ 15,21 bilhões.Para a conta corrente (saldo de todas as transações do País com o exterior), a pesquisa de mercado Focus manteve a projeção de déficit este ano de US$ 23 bilhões. Já a previsão para o saldo da conta corrente em 2009 passou de um déficit de US$ 31,15 bilhões para US$ 31,90 bilhões.A previsão para o ingresso de investimento estrangeiro direto (IED) em 2008 ficou em US$ 34 bilhões. Para 2009, a projeção do ingresso de recursos externos no País foi mantida em US$ 30 bilhões pela sétima vez consecutiva. var keywords = "";

Tudo o que sabemos sobre:
FocusBCIPCASelic

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.