Mercado vê mais cortes nos juros em 2009 e 2010, aponta BC

Analistas e empresários preveem que a Selic termine este ano em 11%; ao fim de 2010, taxa será de 10,75%

Renato Andrade, da Reuters,

26 de janeiro de 2009 | 08h36

O forte corte da taxa de juro promovido pelo Banco Central na semana passada fez com que analistas e empresários revisassem para baixo suas estimativas para o comportamento da taxa Selic em 2009 e 2010, mostra pesquisa divulgada nesta segunda-feira, 26.   Veja também Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    De acordo com levantamento feito pelo próprio BC, as novas estimativas indicam que a taxa Selic deve encerrar o ano em 11%, levemente abaixo dos 11,25% estimados na pesquisa anterior. Para 2010, as projeções indicam que o juro básico brasileiro estará em 10,75% no fechamento do ano, ante estimativa anterior de 11%.   Na semana passada, o Copom reduziu a Selic em 1 ponto porcentual, para 12,75%. Foi o corte mais acentuado da taxa básica de juro do País desde o final de 2003 e a primeira redução promovida pelo Comitê desde setembro de 2007.   A expectativa de continuidade do ciclo de afrouxamento monetário se sustenta em um cenário de inflação em queda e crescimento baixo, mostrou a pesquisa. As projeções para o comportamento do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), por exemplo, indicam uma variação de 4,64% em 2009 e de 4,50% em 2010.   O IPCA é o índice utilizado pelo Copom para balizar a política de metas de inflação. Tanto em 2009, quanto em 2010, a meta central de inflação perseguida pelo BC é de 4,5%, com margem de flutuação de 2 pontos percentuais, para cima ou para baixo.   Em termos de crescimento, os analistas consultados pelo BC mantiveram a aposta de uma expansão de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009. Mas a estimativa para 2010 sofreu um pequeno ajuste para baixo, passando de um crescimento de 3,90% para 3,80%.   Para o mercado de câmbio, as projeções mantiveram-se inalteradas: R$ 2,30 por dólar ao final deste ano e R$ 2,28 por dólar em dezembro de 2010.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise FinanceiraJurosPIBInflação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.