Mercado vê Selic a 12% após Relatório de Inflação do BC

Após o Banco Central reforçar seudiscurso contra a inflação, o mercado elevou a previsão para ataxa Selic no final deste ano para 12,0 por cento, segundo orelatório Focus divulgado nesta segunda-feira. O prognóstico anterior era de manutenção do juro nos atuais11,25 por cento ao ano. Na semana passada, o BC divulgou oRelatório de Inflação do primeiro trimestre, elevando aprevisão do IPCA para 4,6 por cento neste ano e mostrando-sebem atento à evolução da oferta e da demanda. A estimativa das instituições classificadas como Top 5 peloBC --as que mais acertam no Focus-- é ainda mais agressiva eindica Selic a 13,0 por cento no final do ano. O prognósticoanterior era de 12,25 por cento. Para o total das instituições consultadas, o primeiroaumento não deve ocorrer já na próxima reunião do Comitê dePolítica Monetária (Copom). As Top 5, no entanto, vêem aprimeira alta da Selic em abril, para 11,50 por cento. "O Relatório de Inflação veio bem forte e as declarações doMario Mesquita (diretor de Política Econômica do BC) também.Isso levou vários analistas a mudar suas previsões. Dentro dosriscos para o cenário de inflação, o principal vem dademanda... e, em relação a isso, o BC deu a entender que vaielevar juros", comentou Marcela Prada, economista da TendênciasConsultoria. Em entrevista a jornalistas após a divulgação do relatório,o diretor de Política Econômica do BC falou em "açãopreventiva" contra a inflação. Para o final de 2009, o mercado manteve a estimativa deSelic em 10,50 por cento ao ano. INFLAÇÃO O mercado também elevou a projeção para o IPCA, mas aindavê a inflação abaixo do centro da meta em 2008 e 2009. A estimativa para este ano passou para 4,47 por cento, ante4,44 por cento na semana anterior. Para 2009, o prognósticooscilou para 4,31 por cento, frente a 4,30 por cento antes. "A gente vê algum risco para a inflação vindo da demanda,mas por enquanto a gente acredita que essa pressão de demandanão vai se transferir para uma maior pressão inflacionária evemos a inflação em torno do centro da meta", acrescentouMarcela. O relatório Focus mostrou ainda uma pequena alteração naestimativa para o crescimento econômico deste ano, que passoude 4,5 para 4,6 por cento. A projeção para a expansão em 2009subiu de 4,0 por cento para 4,06 por cento. O prognóstico para o dólar no final deste ano foi mantidoem 1,75 real e para o fim de 2009 passou de 1,82 real para 1,83real. A estimativa para o superávit da balança comercial nesteano caiu para 28 bilhões de dólares, ante 28,77 bilhões dedólares na semana anterior. (Colaborou Cláudia Pires; Edição de Daniela Machado)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.