Mercados: abertura positiva, mas com cautela

O mercado volta a sinalizar abertura positiva nesta quinta-feira, embora com variações bem mais modestas do que no fechamento de ontem. Há pouco, o dólar comercial para venda estava cotado em R$ 2,4270, com alta de 0,66%. Os contratos de swap (troca) de títulos prefixados por pós-fixados com período de um ano pagavam juros de 18,93% ao ano, frente a 18,88% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) operava em alta de 0,20%. O alívio com a situação na Argentina, onde o peso tem se comportado bem desde o início da livre flutuação, na última segunda-feira, favoreceu o mercado ontem e continua tendo efeitos positivos nesta manhã. Porém, operadores ainda se mantém reticentes na aposta de uma recuperação mais forte dos ativos brasileiros. No caso da bolsa, os preços ainda são considerados baixos. O Ibovespa acumula queda de 4,5% no ano e há quem considere que o índice possa, ao menos, retomar o patamar de 14 mil pontos no curto ou médio prazo. Esta retomada, porém, depende de não ocorrer nenhuma piora no cenário conjuntural. Quanto à Argentina, por exemplo, já está no preço que o país vai demorar a sair da crise, mas, para o Brasil não sofrer um maior contágio, é necessário pelo menos que a situação em Buenos Aires não piore. Nos EUA, onde serão divulgados hoje os dados do auxílio-desemprego e estoque das indústrias, o mercado acompanha dois indicadores: o nível de atividade e a situação do mercado, que ainda teme o surgimentos de novos "casos Enron". O cenário interno, embora ainda seja avaliado como positivo, depende de novos dados para recuperar o otimismo do final do ano passado. A balança comercial, cujos dados da segunda semana saem hoje, precisa mostrar saldos expressivos para o mercado esquecer os números frustrantes de janeiro e, sobretudo, a inflação precisa cair com intensidade para que o Banco Central possa cortar a taxa básica de juros da economia - Selic. Uma evolução sem maiores turbulências do quadro eleitoral também é importante para o mercado brasileiro ratificar as apostas otimistas para 2002. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.