Mercados abrem apreensivos

O feriado de amanhã aumentou a apreensão dos investidores no mercado financeiro no Brasil. Com a permanência das dúvidas em relação à economia argentina, os investidores que já fizeram sua posição em dólares não se desfazem da moeda que, neste momento de incertezas, é a forma de hedge (segurança). Já aqueles que não estão posicionados, tendem a comprar dólares e, desta forma, buscam segurança contra eventuais surpresas no país vizinho.O resultado é a escassez de dólares no mercado, o que provocou a alta mais forte da moeda norte-americana no início dos negócios. Há pouco, o dólar comercial estava cotado a R$ 2,5930 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,58% em relação aos últimos negócios de ontem. No mercado de juros, os contratos de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 22,700% ao ano, frente a 22,490% ao ano ontem.Na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), os negócios não devem ser menos piores. Há pouco, o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa - estava em queda de 0,35%. Ontem, a forte queda das ações da Telesp Celular em função da desistência da recompra das ações da empresa por parte da Portugal Telecom Celular impulsionaram um desempenho negativo nos negócios (veja mais informações no link abaixo). Este é mais um indicativo do esvaziamento do mercado acionário brasileiro, provocado principalmente, segundo os analistas, pela cobrança de Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) e pelo aumento da alíquota de Imposto de Renda (IR) - de 10% para 20% - no próximo ano. A decisão da Portugal Telecom, segundo analistas ouvidos pela editora Márcia Pinheiro, também mostra a falta de interesse das empresas estrangeiras em relação ao mercado interno.Hoje, os operadores da Bolsa paralisarão as atividades durante uma hora - das 12h às 13 horas. Trata-se de um protesto contra as comemorações do "Brazil Day", que reunirá autoridades como o ministro Pedro Malan e empresários brasileiros na Bolsa Nova York, amanhã, dia da Independência do Brasil. Segundo a editora Sueli Campo, os profissionais da Bolsa se queixam do descaso do governo com o mercado de ações, que vem sofrendo uma migração dos negócios para o mercado norte-americano.Estados UnidosNo início desta manhã, o Departamento do Trabalho dos EUA informou que foram apresentados 402 mil novos pedidos de auxílio-desemprego na semana passada - uma queda de 3 mil em relação à semana anterior. A perspectiva dos analistas apontavam para uma elevação de mil no número de pedidos.Os números sobre o mercado de trabalho norte-americano são esperados pelos analistas como um importante sinalizador da tendência para o consumo no país, responsável por dois terços da economia norte-americana. A preocupação dos analistas é saber se a economia será desaquecida de maneira suave, sem que haja recessão, o que teria impacto muito forte nas economias de outros países. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.