coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Mercados aguardam Copom atentos à política

Começa hoje a reunião mensal do Comitê de Política Monetária (Copom) que vai reavaliar a Selic, a taxa básica de juros da economia. Desde março deste ano, a Selic está em 18,5% ao ano e crescem as apostas de que o Comitê decidirá pela manutenção dos juros neste patamar. Um dos principais motivos foi a piora das condições dos mercados devido à proximidade das eleições presidenciais.Desde a última reunião do Copom, realizada nos dias 16 e 17 de abril, a taxa de risco-país passou de 730 pontos base para 919 pontos base e o dólar acumula uma alta de 6,5% - passou de R$ 2,32 para R$ 2,476. O temor é que esta pressão de alta sobre a moeda norte-americana seja repassada para os índices inflacionários, dado que os produtos e insumos importados ficam mais caros. Como a política monetária é definida pela cumprimento da meta de inflação, este é um fator preocupante.Neste ano, a meta é de 3,5%, com margem de tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo. Nos últimos 12 meses, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - índice usado como referência para a meta de inflação - acumula uma alta de 7,98%. Ou seja, acima do teto para a inflação, segundo a política de metas. Este é outro fator que deve contribuir para a manutenção da Selic. Entre os analistas, há quem acredite em um corte de 0,25 ponto porcentual na taxa Selic. O motivo desta aposta é ritmo lento da economia do país, que ficou evidente depois da divulgação dos números da produção industrial. Porém, na semana passada, o presidente do Banco Central (BC), Armínio Fraga, afirmou que o fator demanda é apenas uma das variáveis na avaliação da taxa Selic.Cenário políticoNo cenário político, as atenções continuam voltadas para a divulgação do resultado de pesquisas eleitoras, mas surpresas não são esperadas. Foram duas pesquisas realizadas pelo Instituto Ibope. Uma foi feita a pedido da Premium Propaganda. A outra, do Bank Of America. Já o Instituto Sensus, de Belo Horizonte, está em campo fazendo o levantamento de sua pesquisa mensal. Segundo apurou o jornalista Renato Andrade, esta pesquisa foi encomendada pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT) e será divulgada na próxima segunda-feira, dia 27. O registro será feito amanhã no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Ainda no cenário político, destaque para a reunião da cúpula do PMDB nesta terça-feira. O objetivo é discutir o nome do candidato a vice-presidente na chapa do senador José Serra (PSDB-SP) que será oficializado nesta quarta-feira. O nome favorito é o da deputada Rita Camata (PMDB-ES), mas, segundo informou a jornalista Cida Fontes, o ex-prefeito de Joinville (SC) Luiz Henrique divulgou nota hoje, manifestando apoio à escolha do senador Pedro Simon (PMDB-RS) para o cargo.Estados UnidosMuito negativa foi a reação dos investidores norte-americanos ontem às declarações de representantes do governo do país sobre possíveis ataques terroristas em breve (veja mais informações nos links abaixo). Depois de alguns dias com tendência de alta, as bolsas dos Estados Unidos registraram queda na segunda-feira. O Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - encerrou o dia em baixa de 1,19%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou com baixa de 2,29%. Nesta terça-feira, a reação negativa por parte dos investidores pode continuar. Em relação aos números da economia do país, o único indicador a ser divulgado é o relatório semanal Redbook, que vai mostrar o desempenho do comércio varejista na semana até 18 de maio.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

21 de maio de 2002 | 08h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.