Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Mercados animam-se com notícias argentinas

O mercado financeiro reagiu de forma positiva durante toda a manhã com as notícias argentinas. Os jornais do país vizinho confirmaram que já estão acertados os títulos que serão usados na operação de troca (swap) de papéis da dívida argentina de curto prazo por títulos com vencimento mais longo (veja mais informações no link abaixo). No início da tarde, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registra alta de 3,09%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 22,610% ao ano, frente a 22,750% ao ano ontem. O dólar comercial está cotado a R$ 2,3250 na ponta de venda dos negócios - queda de 0,68% em relação aos últimos negócios de ontem. Problemas internosEm relação aos problemas de falta de energia no País, um dos focos de preocupação para os investidores, já que terá conseqüências - ainda imprevisíveis - sobre a economia, o governo começa a cogitar a possibilidade não haver apagões no País, pelo menos numa primeira etapa do racionamento. O governo pretende economizar energia lançando mão de outras medidas, como cotas, multas ou até mesmo empréstimo compulsório sobre as contas de luz da classe média. Com isso, o governo evitaria um desgaste político maior e reduziria o impacto negativo do racionamento sobre a atividade econômica. No cenário político, o relatório do senador Saturnino Braga (PSB-RJ), indicando a cassação dos senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (sem partido-DF) no caso de violação do painel do Senado, não influenciou os negócios no mercado financeiro. A votação do relatório, que vai decidir pela cassação ou não, ficou para a próxima quarta-feira, dia 23. Estados UnidosNos Estados Unidos, a divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI) em 0,3% - resultado abaixo do esperado pelos analistas - melhorou o humor dos investidores, pois sinaliza que a inflação vem sendo controlada. O Dow Jones - índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - opera com alta de 2,05%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra alta de 2,54%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.