Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Mercados apostam firme na queda da Selic

Hoje cresceram as apostas numa queda da Selic, a taxa básica referencial da economia. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 16,020% ao ano, frente a 16,160% ao ano ontem. No embalo do bom humor do mercado, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 2,82%%. O dólar fechou em R$ 1,9570, com alta de 0,26%.Os bons indicadores da economia norte-americana divulgados hoje aumentaram as expectativas de queda nos juros norte-americanos, impulsionando a Nasdaq. Além disso, a redução de 1,5 milhão de barris de petróleo definida pela Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep) ficou dentro do esperado, não afetando os negócios.O Dow Jones - Índice que mede as ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 0,64%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - em alta de 2,45%. Às 15:32, os negócios com o petróleo bruto do tipo Brent para entrega em março operavam em queda de 0,73% em Londres, a US$ 24,79 por barril.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.