Mercados asíaticos afundam por petróleo e dados dos EUA

As principais bolsas asiáticasfecharam em queda nesta segunda-feira depois que o petróleobateu recorde de 139 dólares o barril e números sugeriram queos Estados Unidos estão se aproximando perigosamente de umaestagflação. "Os fatores que estão afetando o mercado, notadamente ainflação e o desaquecimento econômico, não vão simplesmentedesaparecer", afirmou Lee Young-su, analista de mercado naDaewoo Securities, na Coréia do Sul. Dados de sexta-feira mostraram que a taxa de desemprego nosEstados Unidos teve seu maior crescimento em 22 anos,aumentando temores de uma repetição dos anos de 1970, quando umaumento na inflação coincidiu com um período de crescimentoeconômico estagnado. Em sua maior alta diária, o preço do petróleo subiu quase11 dólares na sexta-feira, dando início ao maior movimento devendas num único dia em Wall Street desde fevereiro de 2007. A combinação de aumento nos preços da energia e sinais deinstabilidade econômica impactaram nas bolsas asiáticas, queainda tentam se recuperar da inflação na casa dos dois dígitosem algumas partes da região Às 8h05 (horário de Brasília), o índice MSCI da ÁsiaPacífico exceto Japão tinha queda de 0,98 por cento, aos 470pontos. O índice Nikkei, da bolsa de TÓQUIO, fechou comdesvalorização de 2,1 por cento, sua maior queda diária em duassemanas, com exportadoras como a Canon e a Honda Motorencabeçando as baixas. A Honda cedeu 3,4 por cento enquanto aCanon perdeu 4,4 por cento devido a temores de redução degastos pelos consumidores. A bolsa de SEUL encerrou com baixa de 1,27 por cento, em1.808 pontos. Os mercados financeiros na Austrália, China, Hong Kong eFilipinas não abriram por conta de feriados locais. Em TAIWAN, o mercado caiu 1,8 por cento e em CINGAPURA abolsa caiu 1,99 por cento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.