Mercados asiáticos caem por preocupações com economia e AIG

As bolsas de valores da Ásia encerraram em queda nesta terça-feira, no menor patamar em três meses. O índice Nikkei quase chegou ao menor nível em 26 anos, em meio às crescentes preocupações com a sistema financeiro global. Fortes ganhos registrados no mercado asiático na segunda-feira foram zerados, à medida que o otimismo sobre notícias de que o governo dos Estados Unidos poderia adquirir uma grande parte do Citigroup deu lugar para novos questionamentos sobre se Washington está fazendo o bastante para estabilizar os bancos enfraquecidos e o setor de crédito. Problemas no sistema financeiro global continuam se multiplicando com as massivas perdas no crédito e a recessão pesando sobre os concessores de empréstimos. O American International Group Inc (AIG) está em conversações com autoridades dos Estados Unidos para pedir mais ajuda, enquanto que o governo da França deve prover mais fundos para dois bancos. O MSCI, que reúne as principais bolsas da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão, atingiu o menor patamar desde 26 de novembro e registrou queda de 2,3 por cento. O índice fechou em queda de 1,78 por cento. O indicador Nikkei, de TÓQUIO, fechou em queda de 1,46 por cento, para 7.268 pontos, após ameaçar chegar a um nível que o colocaria no menor patamar desde 1982. No ano, o índice acumulou perdas de 13 por cento. Na Coréia do Sul, o índice KOSPI desvalorizou-se em 3,24 por cento, para 1.063 pontos. A bolsa de SYDNEY recuou 0,58 por cento, a 3.331 pontos. TAIWAN exibiu perdas de 1,06 por cento, para 4.430 pontos. Em CINGAPURA, a bolsa caiu 1 por cento, a 1.614 pontos, e HONG KONG teve desvalorização de 2,86 por cento, para 12.798 pontos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.