Mercados: ata do Copom é a única novidade

No último de negócios no mercado financeiro a expectativa é de poucos negócios e baixas oscilações. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) abriu em leve alta e há pouco operava com alta de 0,05%. O dólar comercial está cotado a R$ 1,9600 na ponta de venda dos negócios - estável em relaçào aos últimos negócios de ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - começam o dia pagando juros de 16,750% ao ano, frente a 16,760% ao ano registrados ontem.A única novidade até agora no mercado financeiro é a divulgação da ata da 54ª reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), realizada na semana passada, que definiu a redução da taxa básica de juros (Selic) de 16,5% para 15,75% ao ano. O texto da ata indica que os fatos mais recentes no cenário externo têm sido "positivos", porém as principais incertezas ainda estão "longe de dissipar-se". Como fatores positivos, o texto destaca a redução do preço do petróleo e a expectativa de confirmação do processo de desaceleração do crescimento da economia norte-americana. Na análise do cenário interno, o texto da ata confirma a expectativa do governo de cumprimento da meta de inflação para 2001, de 4%. As principais causas citadas para isso são: a queda esperada no preço da gasolina, em decorrência da redução dos preços externo do petróleo; o aumento substancial da safra agrícola, com conseqüente pressão deflacionária no período de colheita; a estabilidade das expectativas dos agentes de mercado; e a inexistência de pressões sobre os preços da economia.

Agencia Estado,

28 de dezembro de 2000 | 10h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.