Mercados atentos à Argentina e inflação

Nesta semana, o agravamento da situação argentina e a alta dos índices de inflação reduziram o ritmo de otimismo que vinha tomando conta do mercado desde o início do ano. Hoje, com a abertura dos negócios no mercado argentino, a instabilidade aumentou ainda mais. O dólar comercial chegou a ser vendido a R$ 2,4480, mas esta tendência negativa foi, em parte, revertida e às 15h08, o dólar estava cotado a R$ 2,4150 na ponta de venda dos negócios, em queda de 0,29% em relação aos últimos negócios de ontem.Na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), os negócios operam do lado positivo. O Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bovespa - está em alta de 1,71%. No mercado de juros, os contratos que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano pagam juros de 19,53% ao ano, frente a 19,36% ao ano registrados ontem. No mercado cambial argentino, que reiniciou seus negócios hoje, após estarem fechados durante 21 dias corridos, o dólar flutuante estava sendo negociado na faixa de 1,70 peso. Os especialistas acham prematuro fazer qualquer diagnóstico agora. Preferem esperar mais alguns dias para ter uma noção melhor da situação e da sustentabilidade política do presidente Eduardo Duhalde, que, por enquanto, está com placar positivo a seu favor. Já a Bolsa de Buenos Aires permaneceu fechada.Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - opera com alta de 0,14%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - negocia com alta de 0,13%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.