coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Mercados atentos à economia e às eleições

O cenário político é o centro das atenções para os investidores e continuará influenciando os negócios. Pontualmente, os mercados reagem a outros fatores e não abandonam o clima de incertezas e cautela. Nesta segunda-feira, os fundamentos econômicos voltaram a influenciar os mercados.No início do dia, em entrevista à imprensa, o presidente do Banco Central (BC), Armínio Fraga, admitiu preocupação com a situação da economia em geral e com o atraso na votação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Quanto ao cenário eleitoral, Fraga disse que os investimentos diretos não devem ser muito afetados, por se tratarem de decisões de longo prazo. Em relação à próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), marcada para os dias 21 e 22 de maio, Fraga voltou a admitir a hipótese de o BC baixar o juro caso se confirmem os sinais de queda da atividade econômica e da inflação. Porém, esta sinalização de Fraga não foi suficiente para reverter o humor do mercado. Até porque, ainda que o juro caia, isto será decorrência não apenas da queda da inflação, mas de uma indesejável - econômica, social e politicamente - desaceleração do Produto Interno Bruto (PIB).Diante do clima pessimista nos mercados, o saldo da balança comercial na segunda semana de maio, divulgado hoje, não foi suficiente para animar os investidores. O saldo foi positivo em US$ 210 milhões - com exportações de US$ 1,137 bilhão e importações de US$ 927 milhões. O acumulado da balança, no mês, passou a ser positivo em US$ 228 milhões e no ano, US$ 1,736 bilhão.Veja os números no mercadoÀs 15h, o dólar comercial está cotado a R$ 2,5050, em alta de 1,50% em relação aos últimos negócios de sexta-feira. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) pagam taxas de 19,140% ao ano, frente a 19,040% ao ano na sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em queda de 1,05%. No mercado internacional, os principais títulos da dívida brasileira estão cotados a 74,063 centavos por dólar. Na sexta-feira estavam em 75,250 centavos por dólar.Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - está em alta de 1,28%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - opera com alta de 2,27%. Na Argentina, a Bolsa de Valores de Buenos Aires está em alta de 0,83%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.