Mercados atentos a PIB e medidas cambiais; petróleo é recorde

Fatores que comandam o jogo nesta quarta são as expectativas com as medidas cambiais e o mercado externo

Da Redação,

12 de março de 2008 | 14h24

O crescimento de 5,4% do Produto Interno Bruto (PIB) no ano passado, chegando a R$ 2,6 trilhões, com forte expansão do consumo das famílias e investimentos, foi bem recebido pelos mercados. Mas, como o número já era esperado, as reações não foram expressivas.   Veja também: BCs injetam dinheiro para ajudar mercado de crédito Inflação da China excede previsões e sobe a 8,7% em fevereiro Petróleo bate novo recorde e chega a US$ 109 em Nova York ESPECIAL: Preço do petróleo em alta Evolução do preço do dólar  Entenda a crise nos Estados Unidos   Veja os efeitos da desvalorização do dólar      Os dois fatores que mais comandam o jogo nesta quarta-feira são as expectativas com as medidas cambiais, que devem ser anunciadas após o encerramento dos pregões, e o cenário externo, que por estar mais calmo nesta manhã foi determinante para reverter, aqui, a alta do dólar observada no início do dia.   Às 15h, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com alta de 0,58%. O dólar comercial é vendido a R$ 1,6800, em baixa de 0,30%. Em Nova York, as bolsas operam em alta. O Dow Jones sobe 0,26% e a Nasdaq tem valorização de 0,56%. O petróleo bateu mais um recorde e, na máxima do dia, o barril foi vendido a US$ 109,85.   Europa   As bolsas de valores européias subiram nesta quarta-feira pelo segundo pregão, mantendo o tom otimista pela ação dos grandes bancos centrais para aliviar o mercado de crédito. Além disso, rumores de aquisição fizeram as mineradoras se destacar. O índice FTSEurofirst 300, que engloba as principais ações da Europa, fechou em alta de 1,07%, a 1.283 pontos. Entre as maiores altas, as ações da seguradora britânica Standard Life dispararam 12,9% depois de registrar aumento de 43% no lucro líquido de 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.