coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Mercados avaliam ata do Copom

A esperada ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) revelou que a piora do risco Brasil, a recente depreciação cambial e a proximidade das projeções de inflação ao teto da banda definida para este ano foram os três pontos listados para justificar a manutenção da taxa Selic, a taxa básica de juros da economia, em 18,5% ao ano.A primeira justificativa - a alta da taxa de risco-país - deve-se ao aumento das taxas de juros que os investidores exigem para comprar papéis da dívida brasileira no exterior. A taxa de risco-país mede a diferença entre os juros negociados nos títulos norte-americanos e nos papéis brasileiros. Quanto maior o risco destes papéis, maiores os juros exigidos pelos investidores e, conseqüentemente, maior a taxa de risco. Já o dólar, que acumula uma alta de 6,77% em maio até ontem, preocupa pois pode encarecer produtos e insumos importados, o que pressiona os índices de inflação. Os índices inflacionários são acompanhados com atenção, pois a política monetária é definida pelo cumprimento da meta de inflação, que é de 3,5% neste ano, com margem de tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo. Segundo a ata, a maioria dos membros do Copom considerou que as perspectivas para a inflação neste ano convergem para o cumprimento da meta. Porém, devido aos riscos que ainda podem influenciar esta expectativa, não houve um consenso entre os diretores sobre o "momento adequado para a retomada do processo de redução da taxa básica de juros". Veja mais informações sobre a ata no link abaixo.Veja os números do mercadoNo mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagavam taxas de 18,610% ao ano, frente a 18,730% ao ano. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com alta de 1,29%. O dólar comercial está cotado a R$ 2,5160 na ponta de venda dos negócios, em baixa de 0,47% em relação aos últimos negócios de ontem.Na Argentina, o índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires está em alta de 1,08%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - opera com baixa de 0,34% e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra queda de 1,49%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

29 de maio de 2002 | 14h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.