Mercados: baixo volume e apreensão

O feriado de ontem já causou um volume reduzido às operações dos mercados na quarta-feira, o que deve se repetir hoje. De qualquer forma, a grande notícia do dia foi que a agência de classificação de risco Standard and Poor´s reduziu o rating (nota que avalia o risco) do Peru e colocou em observação a Argentina. Analistas ouvidos pela Agência Estado consideram a redução do rating argentino inevitável, dadas as dificuldades econômicas do país. O efeito foi imediato no Brasil, com elevação da cotação do dólar, queda na Bolsa e aumento dos juros. A bonança dos quatro dias anteriores foi interrompida. O movimento nos mercados brasileiros foi reforçado pela alta nos preços do petróleo depois que o governo norte-americano divulgou que os estoques de vários tipos de petróleo nos Estados Unidos caíram. Até o final do inverno no hemisfério norte, cresce a demanda, em especial por óleo para calefação. O próprio presidente da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep), Ali Rodriguez, prevê quedas nos preços do produto apenas no primeiro trimestre do ano que vem, apesar do aumento na produção anunciado pela organização na segunda-feira. Com isso, as bolsas em Nova York caíram, agravando o pessimismo nos mercados brasileiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.