Mercados: Bolsa em queda e dólar em alta

O mercado financeiro permanece atento ao cenário externo e não demonstrou aumento de instabilidade em função do prolongamento do feriado argentino. Nos Estados Unidos, além da preocupação dos investidores com o ritmo da atividade econômica do país, as incertezas em relação à veracidade do balanço das empresas também deixa os investidores inseguros. No início da tarde, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - estava em queda de 0,51%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registrava baixa de 1,54%. No Brasil, os investidores continuam atentos ao comportamento da inflação. Isso porque a redução das taxas de juros depende de um recuo dos índices inflacionários. A próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que vai reavaliar a Selic, a taxa básica de juros da economia, está marcada para os dias 19 e 20 de fevereiro e as opiniões dos analistas ainda estão dividas entre a manutenção ou um corte de juros.Há quem diga que mesmo um recuo dos índices de inflação no início deste mês não deve estimular um corte de juros na próxima reunião do Copom. Atualmente, a Selic está em 19% ao ano. E, para os mais otimistas, os juros poderiam cair para 18,5% ao ano na reunião de fevereiro.Às 15h10, o dólar comercial era vendido a R$ 2,4310 - alta de 0,33% em relação aos últimos negócios de ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está em queda de 0,20%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 19,06% ao ano, frente a 19,18% ao ano ontem.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

06 de fevereiro de 2002 | 15h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.