Mercados: Bolsa em queda e dólar estável

Os mercados operam tranqüilos. Não há novidades sobre a Argentina e hoje é feriado nos Estados Unidos. Às 14h45, o dólar comercial é vendido a R$ 2,4280 - estável em relação ao fechamento de sexta-feira. Os contratos de swap (troca) de títulos prefixados por pós-fixados com período de um ano pagam juros de 18,79% ao ano, frente a 18,92% ao ano na sexta-feira. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está em queda de 1,13%. Amanhã, começa a reunião mensal do Comitê de Política Monetária (Copom) que vai reavaliara a Selic, a taxa básica de juros da economia. Atualmente a taxa está em 19% ao ano e a maioria dos analistas aposta em manutenção dos juros neste patamar. A reunião do Comitê vai atrair a atenção dos investidores, mas o fato é que, no dia seguinte, os mercados não devem apresentar reação significativa à decisão. Para a Bolsa, uma redução da Selic não deve influenciar os negócios, pois a taxa de juro real - taxa nominal menos inflação - ainda continua muito elevada. O investidor prefere permanecer com os seus ativos em aplicações atreladas a taxas de juros, em que o ganho é elevado e não há risco de perdas. Para que a Bolsa fosse influenciada positivamente, o corte de juros deveria ser bem maior do que 0,5 ponto porcentual, o que muito dificilmente deve ocorrer. Além disso, os investidores continuam reclamando da incidência da Cobrança Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) no mercado de ações, além da elevação da alíquota de Imposto de Renda (IR) - de 10% para 20% sobre o ganho.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.