Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Mercados: Bolsa fecha em queda e dólar sobe

Os mercados não conseguiram sustentar o fôlego da recuperação demonstrada ontem. O cenário político continua incerto e os investidores não abandonam o clima de forte cautela. Um dos motivos foi a pesquisa de intenções de voto realizada pelo Vox Populi e divulgada ontem após o fechamento dos mercados. A apuração confirmou a melhora do candidato pelo PSDB, José Serra. O fato é positivo, pois Serra é visto pelos investidores como a opção que maiores chances tem de não rompimento com o atual modelo econômico. Mas houve um crescimento de sete pontos porcentuais nas intenções de voto para o candidato pelo PPS, Ciro Gomes, o que não foi bem recebido pelos investidores. O mercado também foi invadido por boatos de que o candidato pelo PSB Anthony Garotinho iria desistir da candidatura para apoiar o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva. Essa possibilidade provocou algum nervosismo entre os investidores, apesar da negativa de Garotinho sobre essa decisão.O dólar comercial fechou em R$ 2,8250, em alta de 1,62% em relação aos últimos negócios de ontem. A moeda norte-americana oscilou do patamar mínimo em R$ 2,7700 à máxima de R$ 2,8450. O Banco Central (BC) informou ainda que as reservas internacionais do País caíram ontem US$ 323 milhões, para US$ 42,074 bilhões. A maior parte desses recursos foi vendida no mercado à vista na intervenção na última quinta-feira. O BC, entretanto, não informou o valor exato da intervenção. Nessa terça-feira, a intervenção do BC no mercado cambial deu-se pela realização de quatro leilões conjugados de compra e venda de dólares. No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), encerraram o dia em 25,400% ao ano, frente a 25,200% ao ano ontem. Já os papéis com vencimento em julho de 2003 apresentavam taxa de 30,200% ao ano, frente a 30,400% ao ano negociados ontem.O Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa - fechou em 10.705 pontos, em queda de 0,50%. Em junho, até hoje, a Bovespa acumula uma queda de 16,76% e, no ano, a baixa é de 21,15%. O volume de negócios na Bolsa ficou um pouco acima de R$ 665 milhões. A Bovespa informou que, nos 20 primeiros dias de junho, houve uma saída líquida da Bolsa de R$ 769,347 milhões, resultado de compras de ações no valor de R$ 2,060 bilhões e vendas de R$ 2,829 bilhões.Entre as ações que compõem o Ibovespa, as maiores quedas foram apuradas pelas preferenciais (PN, sem direito a voto) da Net, a antiga Globo Cabo (- 13,45%), as ordinárias (ON, com direito a voto) da Embratel (- 10,79%), Embratel PN (- 9,49%), Inepar PN (9,09%) e Tele Leste Celular PN (- 7,81%). O que evitou uma queda maior da Bovespa foi o desempenho de Petrobras PN, que fechou em alta forte de 4,31%. Petrobras ON disparou 8,33%, o melhor desempenho do Ibovespa. Os C-Bonds, principais títulos da dívida brasileira, encerraram o dia cotados a 60,500 centavos por dólar. Ontem, foram negociados a 63,250 centavos por dólar. A taxa de risco-país, que mede a confiança dos investidores na capacidade de pagamento da dívida do país, estava em 1.609 pontos base, frente a 1.613 pontos base ontem. Mercados internacionaisEm Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 1,67%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em baixa de 2,49%. O índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires fechou em alta de 6,64%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

25 de junho de 2002 | 18h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.