Mercados: Bolsa recua e dólar sobe

Sem novos fatos na Argentina, o mercado financeiro recebeu a primeira notícia do dia vinda dos Estados Unidos. A produtividade norte-americana fora do setor rural cresceu à taxa anual ajustada de 2,1% no segundo trimestre. Previamente, a taxa apurada pelo Departamento do Trabalho era de 2,5%. Já a produtividade da indústria foi revisada para uma alta de 1,1% no mesmo período. A prévia apontava para uma queda de 0,2%.As bolsas norte-americanas não chegaram a se animar muito. A Nasdaq - bolsa dos Estados Unidos que negocia papéis do setor de tecnologia e Internet - está em alta de 65%. O índice Dow Jones - que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - está em alta de 0,60%.No Brasil, a divulgação do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), foi a primeira notícia do dia. O Índice ficou em 1,15% no fechamento do mês de agosto, registrando queda em relação à quadrissemana anterior, que apontava para uma alta de 1,38%. Em relação ao mês de julho, com alta de 1,21%, a inflação também registrou queda, segundo o IPC.O número confirma a expectativa dos analistas que esperavam por um recuo nos índices de inflação no segundo semestre do ano. Esta tendência é fundamental para o movimento das taxas de juros no mercado, já que a política monetária brasileira está focada no controle da inflação. No primeiro semestre, os preços foram pressionados pela alta do dólar e isso fez com que a taxa de juros básica, Selic, permanecesse em alta durante todo este período. Atualmente, a Selic está em 19% ao ano e muitos analistas acreditam que, até o final do ano, ela deverá ser reduzida (veja mais informações no link abaixo). Veja como estão os mercadosO dólar comercial está cotado a R$ 2,5660 na ponta de venda dos negócios - com alta de 0,35% em relação aos últimos negócios de ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 22,602% ao ano, frente a 22,400% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com queda de 0,63%. O resultado mais negativo tem como motivo, principalmente, a confirmação do cancelamento da oferta pública da Portugal Telecom para a Telesp Celular, que provocou uma forte queda das ações da companhia brasileira. Há pouco, as ações preferenciais (PN, sem direito a voto) eram negociadas a R$ 8,80, com baixa de 25,93% em relação ao fechamento de ontem.InvestimentosNão deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.