Mercados: bolsas dos EUA seguem em queda

As bolsas de Nova York continuam caindo, pressionando as cotações do dólar hoje, que chegou a R$ 2,71. As empresas continuam divulgando resultados negativos e os dados econômicos confirmam a desaceleração muito acentuada do PIB. Poucos acreditam que os EUA possam escapar de uma recessão. Na verdade, as especulações agora são sobre o tempo que ela duraria e a sua intensidade.Mas isso dependerá em grande parte da ação militar de retaliação aos ataques terroristas da semana passada. Se for possível conduzir uma missão cirúrgica, ou seja, rápida, precisa e de baixo custo, é possível que investidores e consumidores recuperem logo a confiança e a recuperação não demore. Mas esse cenário é improvável, dadas as dificuldades inerentes à operação. A reação dos mercados, porém, tem sido moderada, mesmo porque governos do mundo inteiro estão intervindo nas operações para evitar o pânico.Em poucas horas, o Comitê de Política Monetária (Copom) discutirá a Selic, taxa básica referencial de juros da economia. A grande maioria dos analistas espera que a taxa seja mantida nos atuais 19% ao ano. O presidente do Banco Central já declarou que não há espaço para queda, e não se cogita alta, o que poderia provocar reações exageradamente pessimistas nesse cenário de incertezas.Fechamento dos mercadosO dólar comercial para venda fechou em R$ 2,7100, com alta de 0,59%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 23,840% ao ano, frente a 23,540% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 1,80%.O índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires fechou em queda de 6,01%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 1,62%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em queda de 1,75%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.