Mercados: Bovespa fecha em queda e dólar sobe

Enquanto esperavam pelo resultado da reunião do Comitê de Política de Política Monetária (Copom), os investidores permaneceram atentos ao discurso do senador José Sarney na tribuna do Senado. O pronunciamento não trouxe fatos novos que mexessem com os negócios. Apenas ataques ao presidenciável do PSDB José Serra, o que já era esperado.Em relação à decisão do Comitê, os investidores continuam apostando em uma redução da Selic, que está em 18,75% ao ano. A expectativa é de uma redução de 0,25 ou 0,50 ponto porcentual. Segundo analistas, caso o Copom decida por qualquer uma destas possibilidades, os mercados não devem apresentar reações na abertura dos negócios amanhã, pois são decisões já esperadas. O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,3450 na ponta de venda dos negócios, com alta de 0,09% em relação aos últimos negócios de ontem. No mercado de juros, as taxas apresentaram uma ligeira alta. Os contratos de DI futuro com vencimento em outubro, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), pagavam juros de 17,790% ao ano, frente a 17,760% ao ano registrados ontem. Já a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou o dia em queda de 0,20%. O volume negociado ficou um pouco acima de R$ 570 milhões. Entre as ações do Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bovespa -, as maiores altas foram as preferenciais (PN, sem direito a voto) da Eletropaulo (5,60%), Bradespar PN (5,13%), as ordinárias (ON, com direito a voto) do Banco do Brasil (4,60%). A maior baixa foi registrada pelas ações preferenciais da Telesp Celular Participações (3,23%).Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em queda de 1,26%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registrou queda de 2,55%.ArgentinaO índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires fechou o dia em alta de 1,09%. Segundo apurou a correspondente Marina Guimarães, o dólar fechou em 2,58 pesos (venda) e 2,47 pesos (compra), após ter sido negociado a 2,60 pesos - a maior cotação desde que o governo de Eduardo Duhalde liberou o câmbio, em 11 de fevereiro passado. A moeda norte-americana já abriu em alta na Argentina e disparou após as declarações da vice-diretora gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Anne Krueger , de que o organismo não desembolsará mais dinheiro para a Argentina antes de o governo "resolver os problemas orçamentários das províncias". Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.