Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mercados cautelosos apresentam recuperação

Hoje os mercados acabaram de reverter o pessimismo causado pelo mal-entendido de quarta-feira sobre a dívida da cidade de São Paulo, com recuperação das cotações, que retornaram aos níveis do início da semana. No plano internacional, porém, aumentou o nervosismo dos investidores com a possibilidade renovada de guerra entre os Estados Unidos e o Iraque.O governo conseguiu hoje leiloar 34,8% do vencimento do dia 14 de cerca de US$ 2 bilhões em contratos corrigidos pelo dólar, a taxas mais baixas do que dos últimos leilões. Com isso, é menos provável que as cotações da moeda norte-americana sofram oscilações em função de especulações na semana que vem. As obrigações do governo vão sendo roladas a taxas ainda altas, mas decrescentes, refletindo a maior tranqüilidade dos investidores.Isso se deve aos pronunciamentos e primeiras medidas do governo eleito. Os compromissos com políticas econômicas responsáveis seguem sendo reafirmados e a pauta do Congresso vem sendo destrancada com sucesso, mesmo com algumas concessões a aumentos para categorias profissionais do serviço público, o que sempre pressiona o orçamento. Mas Lula ainda não assumiu, e o poder de manobra do PT fica limitado à preparação do governo, o que não abre muito espaço para demonstrações de confiabilidade mais eloqüentes.Internacionalmente, a preocupação dos investidores já era grande com os sinais contraditórios da economia dos Estados Unidos, que pode vir a entrar em recessão. Mas hoje o Conselho de Segurança das Nações Unidas aprovou uma resolução dura contra o Iraque, e teme-se que o presidente George W. Bush, fortalecido pelas eleições legislativas de terça-feira, decida invadir o país. Com essa apreensão, as bolsas em Nova York operaram em queda.MercadosO dólar comercial foi vendido a R$ 3,5500 nos últimos negócios do dia, em baixa de 1,25% em relação às últimas operações de ontem, oscilando entre R$ 3,5050 e R$ 3,5700. Com o resultado de hoje, o dólar acumula uma alta de 53,28% no ano e queda de 4,83% nos últimos 30 dias.No mercado de juros, os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros pagam taxas de 22,800% ao ano, frente a 22,880% ao ano ontem. Já os títulos com vencimento em julho de 2003 têm taxas de 27,790% ao ano, frente a 27,950% ao ano negociados ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 0,62% em 9860 pontos e volume de negócios de R$ 416 milhões. Com o resultado de hoje, a Bolsa acumula uma baixa de 27,38% em 2002 e 11,46% nos últimos 30 dias. Das 50 ações que compõem o Ibovespa - índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa -, onze apresentaram baixa. Mercados internacionais Às 18h, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York ? operava em queda de 0,58% (a 8536,4 pontos), e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York ? caía 1,02% (a 1362,66 pontos). O euro era negociado a US$ 1,0134; uma alta de 0,48%. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, fechou em baixa de 0,91% (438,97 pontos). O dólar comercial para venda fechou em $ pesos.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

08 de novembro de 2002 | 18h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.