Mercados cautelosos com carnaval

Apesar do recuo da inflação, os investidores continuam fazendo apostas conservadoras. O cenário externo é muito incerto, e o principal temor é que surjam surpresas nesses vários dias em que os mercados não funcionarão. Também nos Estados Unidos, os bons sinais de início da retomada econômica também não estão sendo suficientes para impulsionar as bolsas. Na Argentina, o novo plano econômico entra em vigor na próxima segunda-feira.Foi divulgado hoje o Índice Geral de Preços Disponibilidade Interna (IGP-DI), que também ficou abaixo do esperado pelo mercado, em alta de 0,19%. O número confirma a queda da inflação indicada por outros índices, o que aumenta as chances de que o governo decida realizar um corte na Selic - a taxa básica referencial de juros da economia -, atualmente em 19% ao ano. A maior limitação para uma queda nos juros é a inflação alta, mas já se espera que, ao longo do ano, haja mais folga para uma redução gradual das taxas.Ainda assim, os investidores preferiram a cautela por causa do cenário externo. As bolsas em Nova York não se recuperam, pois o principal fator de pessimismo é a falta de confiança na contabilidade das empresas. Depois do escândalo da Enron, temem-se novas perdas por causa de fraudes contábeis e nem mesmo as perspectivas de fim da recessão antes do que esperava o mercado estão animando os investidores.Na Argentina, o plano econômico anunciado no final de semana entra em vigor na segunda-feira, se não houver novo adiamento. Surgiram rumores na imprensa argentina que o Fundo Monetário Internacional (FMI) não aprova o plano, por causa das perdas causadas pelos mecanismos de conversão em peso dos depósitos e dívidas em dólar. O FMI também teria baseado suas análises em projeções muito mais pessimistas do que as do governo argentino. A maior dúvida imediata é quanto ao comportamento do câmbio, agora livre para todas as operações, na reabertura dos mercados.Fechamento dos mercadosO dólar comercial para venda fechou em R$ 2,4630, com alta de 1,11%. Os contratos de swap (troca) de títulos prefixados por pós-fixados com período de um ano fecharam o dia pagando juros de 20,15% ao ano, frente a 20,00% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 0,46%.Às 18h30, o índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires operava em alta de 0,61%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - apresentava alta de 0,19%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - estava em queda de 0,67%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.