Mercados: cenário externo deve pautar negócios

A forte instabilidade no cenário externo deve continuar guiando os negócios no Brasil. Apesar disso, os investidores podem aproveitar o momento para comprar ativos que estão com valores abaixo do que, de fato, valem. Essa é a justificativa para a alta da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que está com valorização de 1,28% no início da manhã. O dólar comercial já abriu em alta e há pouco estava cotado em R$ 2,0610 - alta de 0,05% em relação aos últimos negócios de ontem. Também no mercado de juros, as taxas continuam em alta. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 16,540% ao ano, frente a 16,560% ao ano registrados ontem.EUA: números revelam desaquecimento forteNos Estados Unidos, o dia começou com a divulgação de indicadores de vendas no varejo pelo Departamento do Comércio dos EUA, referentes ao mês de fevereiro. As vendas no varejo recuaram 0,2%, enquanto a previsão média de 15 economistas ouvidos em pesquisa Dow Jones era de um crescimento de 0,4%. Excluídas as vendas do setor automotivo, o resultado registrou um recuo de 0,3%, enquanto se esperava um crescimento de 0,2%. Os números revelam um desaquecimento acima do esperado pelos analistas e podem influenciar a decisão do banco central dos Estados Unidos (FED) sobre uma possível redução de juros, em 20 de março. A taxa, que está em 5,5% ao ano, pode sofrer mais um corte de 0,5 ponto porcentual. Mas, segundo analistas, ainda é cedo para fazer previsões já que, até lá, serão divulgados novos e importantes dados referentes à economia norte-americana. Exemplo disso é o Índice de Preços ao Produtor (PPI), que sai na sexta-feira.Argentina: leilão é o primeiro testeTambém no cenário internacional, hoje acontece o primeiro teste para o novo ministro da Economia da Argentina, Ricardo López Murphy. Serão leiloados US$ 850 milhões em Letras do Tesouro da Argentina (Letes) - US$ 350 milhões em Letes de 6 meses e US$ 500 milhões em Letes de 12 meses. O mercado continua atento à situação da Argentina e espera, para essa semana, a divulgação de um pacote argentino.Brasil: leilão da Banda EInternamente, o início da manhã foi marcado pelo leilão de licitação da Banda E de telefonia celular para a região I (do Rio ao Amazonas) do Sistema Móvel Pessoal (SMP). A Telecom Italia arrematou a área I por R$ 990 milhões, o que significa um ágio de 5,32% sobre o preço mínimo exigido pelo governo - de R$ 940 milhões. Para as áreas II e III, não houve apresentação de propostas. A operação deve provocar uma entrada de dólares no País, mas menor do que os investidores aguardavam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.