Mercados da Ásia avançam com nova queda do petróleo

Os preços do petróleo retrocederamaos níveis mais baixos em sete semanas nesta quinta-feira, a125 dólares o barril, com o mercado identificando a demanda porenergia dos Estados Unidos alcançando um pico, incentivando acompra de ações da Ásia pelo quarto dia consecutivo. O recuo no preço da commodity e sinais de melhora naconfiança no setor financeiro dos Estados Unidos tambémcolocaram o dólar em seu maior patamar ante o iene em um mês. Contudo, ainda permanece a dúvida sobre se a economia estáapoiando o rali global de ações, particularmente depois quedados mostraram que as exportações caíram pela primeira vez emcinco anos no Japão. Às 7h54 (horário de Brasília), o índice MSCI da ÁsiaPacífico exceto Japão apresentava valorização de 0,64 porcento, para 432 pontos, no maior nível em três semanas. O índice Nikkei da bolsa de TÓQUIO avançou 2,18 por cento,para 13.603 pontos, maior nível desde 26 de junho, puxado porempresas mais sensíveis ao preço do petróleo, como montadoras. Atsushi Mizuno, considerado um dos membros mais enérgicosdo Banco do Japão, afirmou que está mais preocupado com oriscos à economia do que com a inflação e afirmou que existe apossibilidade do Japão entrar em recessão. "Creio que há a possibilidade de demorar mais do que oBanco do Japão afirmou para que a economia japonesa serecupere", afirmou. Contudo, ele destacou que é improvável que qualquerrecessão seja profunda e depois de seus comentários, a bolsa deTóquio intensificou os ganhos. Na contramão, o índice Hang Seng da bolsa de HONG KONGrecuou 0,20 por cento, a 23.087 pontos. Na CORÉIA DO SUL, a bolsa subiu 2,16 por cento, para 1.626pontos, puxada pelas ações da Samsung que avançaram com rumoresde que a empresa anunciará um plano de recompra de ações. Aempresa, que avançou 4,6 por cento, apresentará resultados nasexta-feira. XANGAI subiu 2,55 por cento, TAIWAN teve alta de 0,8 porcento, CINGAPURA recuou ligeiros 0,04 por cento e SYDNEY sevalorizou em 0,76 por cento.

KEVIN PLUMBERG, REUTERS

24 de julho de 2008 | 08h04

Mais conteúdo sobre:
BOLSAASIAMANHA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.