Mercados devem manter otimismo

Os mercados devem manter o otimismo verificado ontem e a expectativa é de que o dólar e os juros futuros sigam em queda e a Bolsa em alta. A sinalização de que os juros da economia podem iniciar uma trajetória de queda, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) optou pelo corte de 0,25 ponto porcentual na taxa Selic, foi reforçada pelo presidente do BC, Armínio Fraga, em discurso realizado ontem. Além disso, mereceu atenção por parte do mercado a reafirmação de Fraga de que o BC perseguirá o centro da meta de inflação. "A meta não mudou, nosso comportamento não mudou", disse o presidente. O que justificou, então, a decisão de cortar o juro foram as condições do ambiente econômico. E, para saber quais são elas, Fraga recomendou uma leitura atenta da ata da última reunião do Copom, que sai na quinta-feira.Outro ponto que pode mexer com os ânimos do mercado, mais precisamente da Bolsa, é a decisão sobre a isenção da CPMF no mercado de capitais que tramita no Congresso. Há o risco de a votação ser adiada devido ao excesso de medidas provisórias na pauta do Congresso. Segundo analistas, se a isenção da CPMF não for votada hoje, o mercado vai ficar frustrado e deve haver uma realização de lucros. No entanto, essa realização deve ser absorvida rapidamente e não será determinante para a trajetória da Bolsa. O otimismo no mercado não se deve apenas à expectativa com o fim da CPMF mas a uma conjunção de outros fatores.Entre eles, o aumento da popularidade do presidente Fernando Henrique Cardoso e do candidato governista, José Serra, e a reativação da economia norte-americana. Hoje saem dois dados importantes nos EUA que podem reforçar ou não a percepção de que retomada da economia. Na Argentina, há a expectativa de que possa sair a assinatura do pacto fiscal com os governadores.Números do mercadoHá pouco, o dólar comercial estava sendo cotado a R$ 2,3920 na ponta de venda dos negócios, em queda de 0,17% em relação aos últimos negócios de ontem. Os contratos de swap (troca) de títulos prefixados por pós-fixados com período de um ano pagam juros de 18,78% ao ano, frente a 18,75% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com queda de 0,24%.Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - está em alta de 0,15%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra alta de 0,41%. O índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, está em alta de 0,65%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.