Mercados: dólar chega a R$ 2,3390

O cancelamento do leilão de privatização da Cesp Paraná, marcado para amanhã, é mais uma notícia negativa a pesar no mercado financeiro nessa manhã. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, decidiu que não vai recorrer da liminar concedida pela juíza Leila Paiva, da 10ª Vara Cível Federal de São Paulo, que impede a realização do leilão. A juíza federal atendeu a ação popular apresentada por políticos de oposição na sexta-feira. O dólar abriu em forte alta nessa manhã, refletindo as incertezas dos investidores em relação ao cancelamento do leilão e aos problemas internos e externos. Em momentos de instabilidade, a moeda norte-americana é o principal ativo usado por investidores que buscam uma forma de segurança (hedge), o que acaba provocando alta nas cotações. Há pouco, o dólar estava cotado a R$ 2,3360 na ponta de venda dos negócios - alta de 0,91% em relação ao fechamento de ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 23,100% ao ano, estáveis em relação ao fechamento de ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em leve alta de 0,18%.Demais incertezas permanecemAlém do fato novo, permanecem as incertezas dos investidores em relação à operação de troca (swap) de títulos da dívida argentina de curto prazo por títulos com vencimento mais longo. Hoje, o secretário de Finanças da Argentina, Daniel Marx, comparecerá à Comissão de Orçamento e Fazenda da Câmara para explicar os detalhes da operação. Além disso, pretende defender a idéia de que a arrecadação fiscal das províncias funcione como garantia da troca de títulos.Tanto a demora na divulgação das condições da operação quanto a falta de medidas concretas para reaquecer a economia do país deixam os investidores inseguros em relação às perspectivas para o país vizinho. Esse cenário não permite que a taxa de risco do país recue e, dessa forma, a demora na divulgação das regras para o swap é ainda maior, já que o governo do país afirma que vai esperar por condições mais favoráveis, leia-se juros mais baixos, para a troca.Em relação ao problema de escassez de energia no Brasil, a falta de uma definição sobre como funcionará o esquema de racionamento e a surpresa demonstrada pelo governo com a dimensão do problema deixam os investidores inseguros. Essa apreensão deve continuar influenciando os negócios no mercado financeiro pelo menos até sexta-feira, quando serão anunciados os detalhes do racionamento. Fed decide juros hojeO banco central dos EUA (Fed) já está reunido para reavaliar a taxa de juros norte-americana, que está em 4,5% ao ano. A decisão deve ser divulgada às 15h15 (horário de Brasília) e os analistas esperam por uma redução de 0,5 ponto porcentual. Essa seria a quinta vez, nesse ano, em que o Fed promoveria um corte dos juros.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.