Mercados: dólar e juros em forte queda

É certo que a Argentina negocia um acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI) com bases em cortes de gastos públicos, conforme noticiou o site do jornal Ambito Financiero de Buenos Aires. O acordo, aliado à operação de troca de dívida de curto prazo por papéis com duração mais longa, a ser realizada pelo governo do país junto aos bancos, se bem sucedida, pode afastar do cenário os dias de forte instabilidade no mercado financeiro que já eram esperados pelos investidores. Com essa perspectiva, as cotações do dólar e juros estão em queda, ajustando-se ao novo cenário. Nos últimos dias, as operações nos mercados estavam em patamares muito elevados devido ao temor dos investidores em relação à possibilidade de um cenário pior, ou seja, um calote argentino. Há pouco, o dólar comercial estava cotado a R$ 2,2270 na ponta de venda dos negócios - queda de 0,76% em relação aos últimos negócios de ontem. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 20,550% ao ano, frente a 21,450% ao ano ontem. Apesar da melhora, analistas consideram que o clima ainda é de cautela e a expectativa agora é pela divulgação dos termos desse acordo e da implementação da operação de troca da dívida.Influência positiva norte-americanaA Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta de 2,55%. A influência das bolsas de Nova York é positiva. No início da manhã, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - operava em alta de 0,92%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra alta de 2,25%. As bolsas norte-americanas operam em alta impulsionadas pela divulgação do PIB norte-americano referente ao primeiro trimestre - crescimento de 2%. O resultado surpreendeu as expectativas dos analistas e ficou acima do esperado. Isso animou os investidores, pois sinaliza que o risco de recessão no país é bem menor do que se pensava.Nesse momento, a questão política interna não exerce influência sobre os negócios. O senador José Roberto Arruda (sem partido-DF) presta seu depoimento sobre a violação do painel eletrônico de votação ao Conselho de Ética do Senado. Veja mais informações no link abaixo.InvestimentosNão deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.