Mercados: dólar e juros voltam a subir

As boas notícias do cenário interno - aprovação da Lei das S.As. e o afastamento da possibilidade de instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) - não foram suficientes para melhorar o humor dos investidores. A situação da Argentina ainda é muito preocupante e, nos Estados Unidos, o ritmo da desaceleração econômica do país ainda provocam instabilidades.Internamente, pesou também de forma negativa a divulgação da ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que decidiu por elevar a taxa básica de juros (Selic) de 15,25% para 15,75% ao ano. O documento sinaliza que a tendência de queda de juros está afastada nesse momento. A alta do dólar e o impacto nos resultados da balança comercial do País também foram tratados de forma preocupante no documento. Entre notícias positivas e negativas, o mercado financeiro permanece em compasso de cautela. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registra leve queda de 0,15%. O dólar comercial está em alta de 0,80%, cotado a R$ 2,1420 na ponta de venda dos negócios. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 19,330% ao ano, frente a 18,900% ao ano registrados ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.