Mercados: dólar em queda e Bolsa com leve alta

O mercado financeiro reagiu de forma positiva a um número de inflação dentro do esperado, mas os investidores continuam apostando que o Comitê de Política Monetária (Copom) manterá a Selic, a taxa básica de juros da economia, em 19% ao ano, na reunião marcada para a próxima semana. Mas, no mercado interbancário, as taxas de juros estão em queda e já são negociadas abaixo da taxa Selic. Às 15h10, os contratos de swap (troca) de títulos prefixados por pós-fixados com período de um ano pagavam juros de 18,88% ao ano - estáveis em relação ao fechamento de ontem. O dólar comercial está cotado a R$ 2,4310 na ponta de venda dos negócios, em queda de 0,12% em relação ao fechamento de ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) acompanha a tendência negativa das bolsas norte-americanas. Há pouco, apresentava uma leve alta de 0,09%. Em Nova York, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - está em queda de 0,57%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra baixa de 2,01%. Em Buenos Aires, o índice Merval opera com alta de 2,87%.Os investidores norte-americanos não gostaram do índice de confiança do consumidor, divulgado pouco após a abertura das bolsas, e que caiu para 90,9, quando o esperado era 93. Também o indicador de produção industrial de janeiro frustrou levemente as expectativas. Esperava-se que o dado ficasse inalterado, mas a produção acabou recuando 0,1% no primeiro mês do ano, sinalizando um vigor ainda fraco da economia americana. O PPI (inflação ao produtor), também divulgado hoje, registrou deflação de 0,1% no núcleo - descontados os valores sazonais -, quando a expectativa era de alta de 0,1%. O índice cheio subiu 0,1%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.