Mercados: dólar pode cair hoje

A crise argentina tem trazido muito pessimismo aos mercados brasileiros. Há uma convergência de opiniões de analistas a respeito do pacote divulgado essa semana pelo governo argentino para reanimar a economia, engessada pela paridade definida constitucionalmente com o dólar. Como o câmbio está sobrevalorizado, as exportações ficam prejudicadas e as empresas deixam de investir. Assim, qualquer iniciativa para incentivar a produção e o emprego, como propõe o governo é bem-vinda. Mas as medidas são tímidas demais e causam perdas na arrecadação, criando uma situação difícil para as contas do governo. Com isso, é necessário que o Estado se financie no mercado. O alívio ontem foi o anúncio de um empréstimo, por um grupo de bancos internacionais, de US$ 1,2 bilhões em um período de dois anos. Se não resolve os problemas, ao menos afasta uma crise financeira e pode acalmar os mercados. Como cerca de 30% das exportações brasileiras vão para a Argentina, os problemas lá acabam afetando a economia e os mercados financeiros aqui.Governo tentou alongar prazos dos títulos cambiais e agravou a situaçãoNa terça-feira o governo brasileiro tentou alongar o prazo de seus títulos cambiais e ofereceu juros muito baixos para o mau humor dos investidores. Com isso, o leilão fracassou e os bancos saíram comprando dólares, o que fez disparar as cotações da moeda. A cotação de fechamento de ontem, R$ 1,9300 foi a mais alta desde 25 de novembro de 1999. Hoje o governo promoverá novo leilão de NBC-E, os títulos cambiais, em condições mais favoráveis para os investidores, o que pode provocar venda de dólares e baixar as cotações.Mas comércio exterior não garante entrada de dólaresPara piorar, os resultados da balança comercial brasileira, em especial nos últimos dois meses, têm decepcionado as previsões mais pessimistas. O aumentos nas importações tem sido tão grande, que o governo já prevê um saldo próximo a zero para o final do ano. A conseqüência é uma disponibilidade menor de dólares no mercado e uma pressão de alta nas cotações.Mercados brasileiros são muito vulneráveis a acontecimentos no exteriorOs mercados brasileiros são muito dependentes de recursos externos. Em situações como a atual, com problemas na economia mundial, o País sofre pois precisa pagar juros muito altos para captar recursos no exterior. Além disso, os investidores tendem a procurar ativos mais seguros e as economias emergentes costumam registrar saída de capital. A queda da Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - de 5,56% ontem e os altos patamares do petróleo, cujos preços têm oscilado diretamente em função dos conflitos no Oriente Médio, também ajudam a deixar os investidores inseguros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.