Mercados: dólar sobe apesar da atuação do BC

A demanda contínua por dólares no mercado à vista e a ausência de vendedores foi o principal motivo para a forte escalada do dólar durante a manhã. A moeda norte-americana saiu de R$ 3,3000 na tarde de ontem para bater máxima de R$ 3,6100 - uma alta de 9,39% em relação aos últimos negócios de ontem. As atuações do Banco Central (BC) no mercado à vista e por meio de leilão de linha - operações de venda de dólares com taxas e data definidas para recompra por parte do BC - não surtiram efeito sobre o comportamento dos investidores. Ou seja, o único grande vendedor de dólares continua sendo o BC. A primeira venda teria ocorrido logo no início da manhã. Em seguida, veio o anúncio da realização de um leilão de US$ 100 milhões. No mercado à vista, segundo operadores, a estimativa é de que o total ofertado chegue a pelo menos US$ 250 milhões. Há operadores que falam em um volume ainda maior.Às 14h55, o dólar comercial está cotado a R$ 3,5100 na ponta de venda dos negócios. Com esse patamar, a moeda norte-americana acumula uma alta de 51,55% em 2002 e de 42,11% nos últimos doze meses. No mercado de juros, as taxas estão estáveis. Os contratos de DI futuro com vencimento em janeiro de 2003 pagam taxas de 25,900% ao ano - mesmo patamar verificado ontem no fechamento dos negócios. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera com alta de 4,79%, em 9.788 pontos.Mercados internacionaisEm Nova York, as bolsas reagiram mal à divulgação de um fraco Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano referente ao segundo trimestre, de 1,1%, ante expectativas de que esse número ficaria em torno dos 2,1%. O Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - apresenta queda de 0,89% e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra baixa de 2,29%. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires está em alta de 0,20%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.