Mercados: dólar supera os R$ 2,00

A intranqüilidade com a disputa pela Presidência da Câmara e do Senado e os dados sobre o desempenho da balança comercial nos primeiros dias de fevereiro pressionaram as cotações do dólar hoje. A moeda norte-americana fechou em R$ 2,0030, com alta de 0,75%. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 1,08%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 15,850% ao ano, frente a 15,700% ao ano ontem. Continua incerta a disputa para as presidências no Congresso, trazendo alguma instabilidade aos investidores. Mas a notícia do dia foi a divulgação dos dados da balança comercial com os primeiros dias de fevereiro. Mesmo sendo pouco representativa, pois só levou em conta os dois primeiros dias do mês, a pesquisa revelou o prosseguimento da tendência de déficit. No período, o saldo da balança ficou negativo em US$ 78 milhões, acumulando US$ 557 milhões no ano. Com isso, os investidores aumentaram sua preocupação em relação à necessidade de dólares do mercado e as cotações subiram. Desde 4 de março de 1999, o dólar não fechava acima de R$ 2,00. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede as ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em alta de 0,94% e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - em queda de 0,65%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.