finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Mercados dos Emirados Árabes Unidos terão 2a-feira difícil

Os mercados dos Emirados Arábes Unidos enfrentarão uma pressão de venda quando reabrirem na segunda-feira, no primeiro pregão pós-feriado depois de Dubai sacudir o mundo na semana passada ao anunciar o atraso o pagamento de dívida de duas empresas.

ENJY KIWAN, REUTERS

29 de novembro de 2009 | 14h15

Empresas de bancos, setor imobiliário e de construção estarão na linha de fogo, à medida em que os investidores avaliam o prejuízo causado pelo surpreendente anúncio sobre a dívida, que é o primeiro passo para uma reestruturação do estatal Dubai World e de seu braço imobiliário Nakheel.

"Provavelmente vamos ver o circuit breaker, a menos que haja algum esclarecimento de um plano ou qualquer coisa", disse Haissam Al Arabi, diretor do fundo de hedge Gulfmena Alternative Investments.

O anúncio neste domingo do banco central dos Emirados de um novo instrumento de liquidez foi visto como necessário, apesar de uma resposta mínima.

"Pode dar um pouco de suporte ao mercado, mas não acho que seja suficiente", afirmou Shawkut Raslan, diretor da corretora Prime Emirates.

"Isso é o mínimo que eles poderiam ter feito e sugere que eles não farão nenhum outro anúncio antes de amanhã de manhã, o que é um pouco decepcionante", disse Raj Madha, analista do EFG-Hermes.

Os mercados dos Emirados Árabes Unidos abrem às 4h (horário de Brasília). Eles estiverem fechados pelo feriado de Eid al-Adha .

Tudo o que sabemos sobre:
MERCADOSDUBAIEXPECTATIVA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.