Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Mercados em dia de notícias desfavoráveis

Duas notícias negativas nessa quarta-feira afetaram os mercados de forma negativa. A primeira delas, que começou a circular entre os investidores durante a manhã, foi a decisão da prefeitura de São Paulo de não pagar a amortização de R$ 3 bilhões de sua dívida com a União em novembro. O secretário de finanças do município, João Sayad, veio a público esclarecer a questão e informou que o não pagamento era um direito que poderia ser exercido no caso dessa dívida. Contudo, a questão trouxe à tona o problema do endividamento público, fator que será uma constante na pauta de negociações do novo governo federal. O segundo foco de influência negativa sobre os mercados foi a possibilidade de que a Justiça seja favorável a um grupo de mutuários que mede a mudança em um indexador que corrige contratos de crédito imobiliário. O problema é que essa decisão poderia abrir jurisprudência para outras ações. O resultado seria um forte prejuízo para a Caixa Econômica Federal e bancos privados, que poderia chegar a R$ 60 bilhões.Banco Central dos EUA reduz jurosNos Estados Unidos, o Banco Central (FED) reduziu a taxa de juros em 0,5 ponto porcentual - de 1,75% ao ano para 1,25% ao ano. Em comunicado divulgado ao final da reunião, o Comitê informou que continua acreditando em um crescimento da produtividade no país, mas, com a redução dos juros, acredita estar dando um "apoio importante à atividade econômica". MercadosO dólar comercial fechou na cotação máxima do dia, em R$ 3,6550 na ponta de venda dos negócios, registrando uma alta de 3,69%. Durante o dia, a moeda norte-americana chegou a atingir a mínima de R$ 3,5680. No acumulado do ano, a alta do dólar é de 57,82%. As taxas de juros futuros permaneceram estáveis hoje. Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), tanto os contratos com vencimento em janeiro quanto nos de vencimento em julho, os juros ficaram no mesmo patamar registrado ontem. Foram de 23,050% ao ano e 28,200% ao ano, respectivamente. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 1,61% em 9702 pontos. O volume de negócios ficou um pouco acima de R$ 499 milhões. As maiores baixas foram registradas pelas ações ordinárias (ON, com direito a voto) da AES Elpa (-71,35%), as preferenciais (PN, sem direito a voto) da Net (-7,14%) e Eletropaulo PN (-6,29%). As maiores altas ficaram com as ordinárias da Light (113,33%), Vale PNA (4,01%) e Embraer ON (3,55%). O desempenho dos papéis da AES Elpa e da Light é resultado de uma operação de cisão em que as duas empresas estão envolvidas.Em Nova York, às 18h24, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - está em alta de 0,60%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - opera com alta de 0,65%. O euro era negociado a US$ 1,0026, o patamar mais elevado desde 26 de julho. Na Argentina, o índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, está em alta de 0,58%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

06 de novembro de 2002 | 18h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.