Mercados em fase de estabilidade

Vários rumores e acontecimentos negativos circularam ontem nas bolsas em Nova York sobre empresas norte-americanas, fazendo os índices despencarem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) sofreu com o pessimismo, afetando também o câmbio, que já emplaca sete altas seguidas. Mas, de maneira geral, o clima é de estabilidade, com baixos volumes de negócios, e os analistas não esperem que isso mude até o carnaval.Depois da euforia de dezembro, a alta da inflação em janeiro conteve os ânimos. Nas últimas duas semanas, a Bolsa e os juros oscilaram pouco, já que só se espera uma queda moderada na Selic - a taxa básica referencial de juros da economia - a partir de fevereiro. E a retomada do crescimento econômico deve ser gradual, acentuando-se no final do ano, acompanhando a evolução da economia norte-americana. Como ainda é muito cedo para começar a pesar a eleição presidencial nos negócios, não há sinais de retomada dos volumes de negócios ou mudança de tendência das cotações no curto prazo.A exceção é o dólar. As previsões dos analistas para o final do ano, segundo a pesquisa semanal do Banco Central, é de R$ 2,58. Mas a moeda norte-americana estava sendo negociada abaixo de R$ 2,35 na virada do mês, devido às fortes captações internacionais de empresas brasileiras e as boas perspectivas para as contas externas. Ontem o dólar teve sua sétima alta seguida, fechando a 2,4380. O cenário não se alterou radicalmente, mas o resultado de janeiro da balança comercial foi decepcionante, e a crise Argentina contribui para isso.Embora o governo argentino esteja trabalhando na elaboração de um pacote econômico mais palatável para a comunidade internacional a ser divulgado no sábado, o comércio bilateral esteve paralisado desde dezembro, e os turistas cancelaram suas viagens ao Brasil. O contágio dos mercados não ocorreu, mas a economia real agora sente as conseqüências da penúria argentina, e tanto a forte recessão como a desvalorização do peso não ajudam no longo prazo, forçando novos patamares - mais elevados - para o dólar. Ainda assim, a velocidade das mudanças é reduzida, e ainda não parece haver um rumo certo para os mercados enquanto não surgem notícias novas ou a economia não tem uma retomada mais vigorosa.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.