Mercados encerram negócios na expectativa de queda da Selic

Termina hoje a reunião mensal do Comitê de Política Monetária (Copom), que reavalia a Selic, a taxa básica de juros da economia, atualmente em 20% ao ano. A definição não promete gerar grandes reações entre os investidores. A maioria dos profissionais espera um corte de um ponto percentual na taxa. E, ainda que o Copom ratifique aquela que é a aposta mais ousada no mercado e reduza a taxa em 1,5 ponto, também não deverá haver um forte reação, já que o mercado trabalha a idéia de a Selic chegar ao redor de 17% ao no final de 2003.No mercado de juros futuros, os contratos com taxas pós-fixadas, negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), com vencimento em julho de 2004, encerraram o dia pagando juros de 17,45% ao ano, ante 17,40% de ontem. O papel com vencimento em abril pagou juros de 17,67% ao ano, frente 17,62% ao ano negociados ontem.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em baixa de 1,16% e o giro financeiro somou R$ 965,2 milhões. No mercado acionário norte-americano, os resultados de empresas decepcionaram os investidores e as bolsas fecharam em baixa. O índice Dow Jones ? que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York ? fechou em queda forte de 1,53% e a Nasdaq ? bolsa que negocia ações do setor de tecnologia e Internet ? caiu 2,21%.O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,8640 na ponta de venda das operações, em alta de 0,25% em relação aos últimos negócios de ontem. A moeda norte-americana iniciou o dia em R$ 2,8520 e oscilou da máxima de R$ 2,8660 à mínima de R$ 2,8520. Com o resultado de hoje, o dólar registra queda de 1,00% em outubro e acumula baixa de 19,10% no ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.