Mercados ensaiam recuperação em dia morno

Num dia de negócios fracos e boas notícias relacionadas à balança comercial, os mercados ensaiaram uma pequena recuperação nas cotações. A instabilidade internacional - especialmente na Argentina e nos Estados Unidos - continua, sem que tenham surgido novidades contundentes para causar melhora significativa nos ânimos dos investidores. Ainda assim, foi divulgado hoje que na primeira semana de abril houve superávit de US$ 97 milhões na balança comercial brasileira, reduzindo o déficit acumulado no ano para US$ 579 milhões. Na Argentina, a cobrança do novo imposto sobre movimentações financeiras, semelhante à CPMF brasileira, trouxe bons resultados. A arrecadação projetada para este mês é de US$ 220 milhões, cobrindo parte das necessidades financeiras do governo, que não consegue cumprir as metas de déficit público com o Fundo Monetário Internacional (FMI).A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 1,62%. O dólar fechou em R$ 2,1590, com queda de 0,32%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 19,050% ao ano, frente a 19,300% ao ano ontem. Nos Estados Unidos, o resultado foi semelhante. O Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em alta de 0,55%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em alta de 1,47%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.