Mercados esperam inflação e ata do Copom

Nesta semana serão divulgados indicadores da evolução da inflação e também a ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que justificará a decisão de corte da taxa de juros Selic em 0,25 ponto porcentual. Neste documento o Banco Central (BC) apresentará as premissas que foram consideradas pelos integrantes do comitê para o corte dos juros. Esses eventos devem confirmar ao mercado se o otimismo em relação à continuidade da queda do juro básico é adequado.Na quarta-feira, serão divulgados três índices de inflação: o Índice de Preços ao Consumidor Amplo -15 (IPCA-15), Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) relativo à 3ª prévia e Índice de Preços ao Consumidor da (IPC-Fipe) relativo à 3ª quadrissemana. Esses indicadores serão importantes para confirmar se, de fato, "a inflação está convergindo para o centro da meta", como afirmou o Copom logo após a decisão de cortar a Selic.Já em relação à ata, que deverá ser divulgada na quinta-feira, será possível prever se, de fato, há predisposição do BC em promover um novo corte já em março ou quais os eventos que podem influenciar a próxima decisão. Por ora, o mercado mantém a expectativa de que a Selic prosseguirá em queda.Sucessão presidencialInfluencia também para otimismo do mercado o resultado da pesquisa Datafolha, divulgado domingo, sobre a avaliação do presidente Fernando Henrique Cardoso. FHC recebeu a sua melhor nota desde 1999, com 30% dos entrevistados considerando o seu governo ótimo ou bom. Existe a expectativa de que essa aprovação se estenda ao candidato do governo, José Serra, que, finalmente, conseguiu sair dos 7% das intenções de voto subindo para 10%. Ainda, segundo pesquisa do Datafolha, Roseana Sarney também cresceu e está empatada tecnicamente com Lula. A disputa sucessória começa a ser olhada com mais interesse pelos analistas, especialmente quando revela mudanças importantes na corrida dos candidatos a presidência.Números do MercadoHá pouco, o dólar comercial estava cotado a R$ 2,4110 na ponta de venda dos negócios, em queda de 0,54%. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) está em alta de 1,63%. Os contratos de swap (troca) de títulos prefixados por pós-fixados com período de um ano pagam juros de 18,73% ao ano, frente a 18,76% ao ano de sexta-feira.Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - está em alta de 0,62%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - registra alta de 0,99%. O índice Merval, da Bolsa de Valores de Buenos Aires, está em alta de 0,59%.Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.