Mercados esquecem Argentina e recuperam-se

Os mercados apresentaram hoje uma tendência de recuperação do pessimismo de quarta e quinta-feira, ignorando o pânico que se instalou em Buenos Aires. O risco país da Argentina chegou a 3.439 pontos, o over alcançou 800% ao ano, e as instituições financeiras suspenderam os empréstimos interbancários. Analistas já falam em corrida aos bancos para saques em massa dos depósitos desde ontem. A situação é crítica. A boa notícia é que os mercados brasileiros não têm sido muito afetados.Na Argentina, em meio a tantas preocupações, a boataria foi incontrolável. Além dos delírios habituais de renúncias e catástrofes, falou-se muito em desvalorização cambial, dolarização, congelamento dos depósitos bancários e feriado bancário na próxima segunda e terça-feira. O governo desmentiu tudo, como sempre, mas as reservas internacionais realmente estão em níveis perigosamente baixos e as filas nos bancos do país inteiro falam por si só. Membros do Ministério da Economia e do Banco Central estariam reunidos nesse momento para decidir sobre medidas de emergência.O governo afirma que devem ser liberados os US$ 1,26 bilhões do Fundo Monetário Internacional (FMI) até o dia 20 de dezembro, e que até lá a situação se sustenta. Mas analistas temem que já seja tarde demais. A desconfiança de investidores e do público é tanta, que nem o anúncio do sucesso da troca de títulos do governo com investidores locais, chegando a cerca de US$ 40 bilhões, teve qualquer efeito. Os números finais serão divulgados nos final da noite. Para muitos, essa é a reta final da crise.Fechamento dos mercadosO dólar comercial para venda fechou em R$ 2,4960, com queda de 1,73%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 21,650% ao ano, frente a 21,800% ao ano ontem. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 1,53%.O índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires fechou em alta de 0,79%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - Índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - fechou em alta de 0,23%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - fechou em queda de 0,14%. Não deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.