Mercados estáveis, mas Bolsa cai

O clima nos mercados, em geral, é de estabilidade em função das expectativas de queda da Selic, a taxa básica referencial da economia. Segundo operadores, as cotações estão adequadas à previsão de queda dos atuais 16,5% ao ano para 16% ao ano na reunião de quarta-feira do Comitê de Política Monetária (Copom). As declarações de vários membros da equipe econômica têm sido favoráveis à queda, principalmente em função da melhora nos mercados internacionais, com a perspectiva de redução dos juros nos EUA e manutenção dos preços do petróleo num patamar mais baixo. Hoje, os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - fecharam o dia pagando juros de 17,130% ao ano, frente a 17,180% ao ano ontem. O dólar manteve-se estável, fechando em R$ 1,9650.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em queda de 1,78%, puxada pela queda da Nasdaq- bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York. O fato relevante foi o anúncio da Microsoft de lucros abaixo do previsto para o quarto trimestre de 2000. Às 17:40, a Nasdaq operava com queda de 2,24%, tendo atingido a queda mínima de 4,86%.Veja mais tarde o resumo da semana e as perspectivas da semana que vem.

Agencia Estado,

15 de dezembro de 2000 | 18h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.