Mercados: expectativa com leilão, Eua e Copom

O dia no mercado financeiro promete ser agitado. Às 10h começou o leilão das três licenças do Serviço Móvel Pessoal (SMP) na banda D. Com a venda, o governo deverá arrecadar no mínimo R$ 2,19 bilhões. São sete as empresas interessadas e, caso a Telecom Itália vença a disputa, os analistas consideram que a cotação do dólar pode ceder mais um pouco, pois significaria uma entrada de dólares no País. Porém, isso depende do volume de recursos e do cronograma de entradas. Há pouco, o dólar comercial estava cotado a R$ 1,9840 na ponta de venda dos negócios - leve queda de 0,05% em relação aos últimos negócios de ontem.Às 13h (horário Brasília), o presidente do banco central norte-americano, Alan Greenspan, depõe no Comitê de Bancos do Senado sobre a situação da economia norte-americana e a política monetária do país. O depoimento pode mexer com os negócios na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), em função de reflexos nas bolsas de Nova York. Também o mercado de juros pode apresentar alguma reação. No início da manhã, a Bovespa opera em alta de 0,25%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - começam o dia pagando juros de 15,760% ao ano, frente a 15,715% ao ano registrados ontem. Outro fato importante hoje é a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que deve definir a taxa básica de juros (Selic). Veja mais informações sobre as perspectivas dos analistas na seqüência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.