finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Mercados: fala de Greenspan não muda nada

Analistas ouvidos pela Agência Estado acreditam que as expectativas dos investidores não devem sofrer alteração em função do discurso do presidente do FED - banco central norte-americano -, Alan Greenspan. Como ontem foi feriado em São Paulo, os negócios nos principais mercados foram paralisados. Hoje espera-se a reação às declarações de ontem de Greenspan.Ele apoiou a proposta de corte de impostos do novo presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, afirmando que tal corte não seria impedimento para uma queda nos juros. O presidente do FED afirmou que a desaceleração da economia é dramática, mas que ainda é cedo para que se possa avaliar se está começando uma recessão.Com isso, as expectativas de que haja um corte nos juros entre 0,25 e 0,50 ponto porcentual nos EUA na próxima reunião do FED, dias 30 e 31, ficam mantidas. E, conseqüentemente, ficam mantidas as previsões de queda da Selic, a taxa básica referencial da economia, atualmente em 15,25% ao ano. O corte ocorreria, segundo essas previsões, na próxima reunião mensal do Comitê de Política Monetária (Copom), dias 13 e 14 de fevereiro.

Agencia Estado,

26 de janeiro de 2001 | 08h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.